Eleições

Postado dia 06/10/2014

Herdeiros de políticos tradicionais são eleitos deputados no Paraná

Das 54 cadeiras da Assembleia Legislativa, 12 serão ocupadas por representantes de famílias tradicionais do Paraná

Um a cada cinco deputados eleitos para a Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) tem parentesco com nomes tradicionais da política paranaense. Entre os 12 “herdeiros” que conseguiram uma cadeira no Legislativo, seis iniciarão o primeiro mandato. Na Câmara Federal, dois dos 30 eleitos têm relação com famílias poderosas do estado.

“É um número alto, o que confirma a tese de que a política é cada vez mais um negócio de família”, afirma o cientista político Ricardo Oliveira, autor de livros que analisam a teia de poder de famílias paranaenses.

Para Oliveira, o desejo de mudança das manifestações de 2013 não se refletiu no voto. “Os protestos só promoveram mais conservadorismo e continuísmo político”, resumiu. Isso teria ocorrido pela falta de liderança nos atos, que não resultaram em candidatos.

Derrotado para o governo, Roberto Requião (PMDB) conseguiu emplacar o filho, Maurício Requião, na Assembleia, e o sobrinho, João Arruda, para a Câmara.

Três descendentes de conselheiros do Tribunal de Contas foram eleitos. Tiago Amaral, filho de Durval Amaral, foi o mais votado de sua coligação, com 86 mil votos. Artagão Junior, filho do presidente do TC Artagão Mattos de Leão, foi reeleito pela quarta vez. Evandro Junior, neto de Hermas Brandão, exercerá o segundo mandato.

Os outros herdeiros eleitos: Pedro Lupion (filho de Abelardo Lupion), Bernardo Ribas Carli (filho de Fernando Ribas Carli e irmão de Carli Filho), Anibelli Neto (filho de Antônio Anibelli), Maria Victoria (filha de Ricardo Barros e Cida Borgheti), Alexandre Curi (neto de Aníbal Khury), Paulo Litro (filho de Rose Litro e Luiz Fernandes Litro), Felipe Francischini (filho de Fernando Francischini), Alexandre Guimarães (filho de Affonso Guimarães).

Na contramão, Reinhold Stephanes e Stephanes Jr., pai e filho, perderam juntos. Luiz Renato Hauly e Antonio Carlos Salles Belinati, filhos de Luiz Carlos Hauly e Antonio Belinati, não conseguiram se eleger -- por outro lado, o sobrinho Marcelo Belinati entrou na Câmara.

 

Veja a lista:

Deputados estaduais eleitos

Tiago Amaral – 1º mandato – filho do conselheiro do TC Durval Amaral

Evandro Júnior – 2º mandato – neto de Hermas Brandão, ex-conselheiro do TC e ex-presidente da Assembleia

Pedro Lupion – 2º mandato – bisneto do ex-governador do Paraná Moisés Lupion e filho do deputado federal Abelardo Lupion

Maurício Requião Filho - 1º mandato – Filho de Roberto Requião

Bernardo Ribas Carli – 2º mandato – filho de Fernando Ribas Carli, ex-prefeito de Guarapuava, ex-deputado federal e estadual

Anibelli Neto – 2º mandato – filho do ex-deputado estadual Antônio Anibelli

Maria Victoria – 1º mandato – filha de Ricardo Barros e Cida Borgheti

Artagão Júnior – 4º mandato – filho do conselheiro do TC Artagão de Matos Leão

Alexandre Curi – 4º mandato – neto de Aníbal Khury, ex-deputado e ex-presidente da Assembleia

Paulo Litro - 1º mandato – filho da deputada estadual Rose Litro e do ex-deputado estadual Luiz Fernandes Litro

Felipe Francischini – 1º mandato – filho do deputado federal Fernando Francischini

Alexandre Guimarães – 1º mandato - filho de Affonso Guimarães, prefeito de Campo Largo

 

Deputados federais eleitos

João Arruda – 2º mandato – sobrinho de Roberto Requião

Marcelo Belinati – 1º mandato – sobrinho do Antonio Belinati, ex-deputado e ex-prefeito de Londrina

 

Não se elegeram

Luiz Renato Hauly - filho de Luiz Carlos Hauly

Antonio Carlos Belinati - filho de Antonio Carlos Belinati


Stephanes Jr. - filho de Reinhold Stephanes (que também não se elegeu)

 

da Gazeta do Povo


comente esta matéria »

Copyright © 2010 - 2018 | Revelia Eventos - Cornélio Procópio - PR
Desenvolvimento AbusarWeb.com.br