Ribeirão Claro

Postado dia 20/09/2013

Produtores de orgânicos ganham sede própria

A Associação de Agricultores de Produtos Orgânicos de Ribeirão Claro (APO), no norte pioneiro do Paraná, comemora duas conquistas: a mudança para a sede própria e a implementação do processamento de alimentos. O novo barracão foi construído com recursos do poder público e os equipamentos foram cedidos pela Fundação Banco do Brasil, mas ainda não estavam sendo utilizados porque o estabelecimento que a APO ocupava até então, emprestado pela Prefeitura de Ribeirão Claro, não oferecia a infraestrutura necessária.

O objetivo do projeto, segundo o consultor do Sebrae/PR  Odemir Capello, é melhorar a renda e a qualidade de vida dos agricultores. O primeiro passo foi a conquista da certificação de produto orgânico concedida pelo Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar), em 2010. A legislação impede a comercialização e até mesmo o uso da palavra orgânico nas embalagens de produtos não certificados.

“O selo trouxe resultados imediatos como a valorização dos produtos, fortalecimento da marca e um aumento no valor de revenda das hortaliças. Agora, o projeto caminha para uma nova fase. O processamento vai ampliar o mix de produtos e a expansão dos negócios”, destaca Odemir Capello.

Marilda Baggio, vice-presidente da APO, explica que, na última semana, os produtores realizaram testes antes de disponibilizar os produtos processados no mercado. “Testamos a desidratação da maçã, do abacaxi, a produção da banana-passa e a higienização e embalagem da alface americana. Estamos otimistas com os resultados”, comemora.

A engenheira-agrônoma do Instituto Paranaense de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater), na unidade de Ribeirão Claro, Denise Lutgens Rizzo, esclarece que o processamento vai aumentar ainda mais o valor agregado dos produtos. Ela acredita que a demanda por alimentos frescos é crescente. “Os orgânicos atendem as necessidades do consumidor, que busca uma alimentação equilibrada, aliada à praticidade. Os alimentos orgânicos processados são saudáveis e oferecem conveniência”, relata.

Os alimentos processados serão distribuídos nos supermercados da região e na cidade de Ourinhos, localizada no interior de São Paulo. A APO também fornece produtos para a merenda escolar nas escolas municipais e estaduais.

Histórico                               

Atualmente, a APO conta com 21 associados. Os associados da APO adotaram, em julho de 2009, o sistema de Produção Agroecológica Integrada e Sustentável (PAIS). O projeto permite a produção de alimentos sem o uso de fertilizantes sintéticos, pesticidas, organismos geneticamente modificados, agrotóxicos, reguladores de crescimento e aditivos sintéticos para a alimentação animal.

A APO é resultado da parceria entre Sebrae/PR, Fundação Banco do Brasil,  Emater, Secretaria da Agricultura e do Abastecimento (Seab), Prefeitura Municipal de Ribeirão Claro, Instituto Ventura  e  Núcleo de Aprendizagem de Práticas Sustentáveis  (NAPS)


comente esta matéria »

Copyright © 2010 - 2018 | Revelia Eventos - Cornélio Procópio - PR
Desenvolvimento AbusarWeb.com.br