Política

Postado dia 03/02/2019 às 15:06:05

Prefeito afastado de Rolândia é absolvido em julgamento da Câmara

O prefeito afastado de Rolândia, no norte do Paraná, Luiz Francisconi Neto (PSDB), denunciado por cometer infração político-administrativa, foi absolvido no julgamento de sábado (2). A sessão começou às 17h e terminou por volta das 22h30.

Foram 6 votos favoráveis ao relatório da Comissão Processante (CP) e quatro abstenções. O relatório era favorável à cassação do mandato do prefeito afastado.

O relatório da Comissão Processante apontou que Francisconi Neto direcionou a licitação de um barracão da união para uma empresa, produziu um contrato simulado e negligenciou a defesa de bens e renda do município.

O vereador Irineu de Paula, presidente da CP, optou por não votar o relatório.

No momento do voto, Paula afirmou que foi orientado pelo partido PSDB, o mesmo do prefeito afastado, a votar pela absolvição. Como não concordou com a decisão da legenda, optou pela abstenção.

“Houve uma reunião com o partido do PSDB para orientar os vereadores a votarem pela absolvição, contudo não concordo e prefiro me abster da votação”, disse o parlamentar durante a votação.

Para a cassação, sete dos dez vereadores deveriam votar favoravelmente ao relatório da CP. Como isso não ocorreu, o caso foi arquivado. 

Veja como cada vereador votou:

  • Alex Santana (PSD) – a favor da cassação
  • Reginaldo Silva (SDD) - a favor da cassação
  • Edileine Vanzan Griggio (PSC) - a favor da cassação
  • André Mariano Cardozo (PSC) - a favor da cassação
  • Rodrigo da Costa Teodoro (SDD) – a favor da cassação
  • João Manoel Ardigo (PSB) - a favor da cassação
  • Irineu Moreno de Paula (PSDB) - abstenção
  • Maria do Carmo Ferro Campiolo (PSDB) – abstenção
  • Eugenio Serpeloni (PSD) - abstenção
  • Leandro Olímpio (PSC) - suplente – abstenção

 

 
Câmara de Vereadores ficou lotada durante julgamento em Rolândia — Foto: Vanessa Navarro/RPC

Câmara de Vereadores ficou lotada durante julgamento em Rolândia — Foto: Vanessa Navarro/RPC

O que disse o prefeito afastado

O prefeito afastado Luiz Francisconi Neto disse que não cometeu irregularidades e que vai provar a inocência na Justiça.

"Por enquanto não há culpados, há investigados. O Ministério Público é responsável por investigar e não por julgar. Essas acusações todas que fazem parte do processo não são verdade. A minha conduta à frente da prefeitura até 10 de setembro foi sempre de perguntar e tomar por base a legalidade e o financeiro. Nunca entreguei cheques, peguei dinheiro público ou dinheiro ilícito passou pela minha conta bancária", disse o prefeito afastado durante julgamento. 

Comissão Processante 

A Comissão Processante (CP) foi criada em 29 de outubro, após a deflagração da Operação Patrocínio, que investiga um grupo suspeito de receber vantagens indevidas em troca de alterações de contratos com a Prefeitura de Rolândia.

Luiz Francisconi Neto é réu em uma ação criminal. Ele foi denunciado pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) por fraudes em contratos da prefeitura e desvio de recursos para campanha eleitoral. Desde setembro, ele está afastado do cargo por determinação da Justiça.

O vice-prefeito, Roberto Negrão, comanda a Prefeitura de Rolândia de forma interina.

do G1

 

Copyright © 2010 - 2019 | Revelia Eventos - Cornélio Procópio - PR
Desenvolvimento AbusarWeb.com.br