Política Paranaense

Postado dia 08/05/2018 às 17:18:17

Alvaro Dias diz que espera herdar votos de Joaquim Barbosa

O pré-candidato do Podemos à Presidência da República, Alvaro Dias, afirmou nesta terça-feira (8) que espera "herdar os votos" que seriam destinados ao ex-presidente do STF (Supremo Tribunal Federal) Joaquim Barbosa. O ex-ministro anunciou hoje que não pretende concorrer às eleições presidenciais.

Segundo ele, a opção de Barbosa por não participar da corrida presidencial "empobrece o debate" sob o ponto de vista da ética, já que o ex-ministro teve atuação de destaque na condução do processo do mensalão. "[A decisão de Barbosa] deixa o espaço aberto no campo da ética. Eu espero, sim herdar os votos do Joaquim Barbosa."

Dias afirmou ser impossível prever neste momento qual das pré-candidaturas colocadas no cenário presidencial lucraria mais com a desistência do ex-ministro. "Só as pesquisas vão dizer isso."

Questionado se poderia chamar Barbosa para compor a sua chapa na condição de vice, o senador paranaense respondeu que seria uma "honra" improvável. "Se ele renunciou a disputa, foi uma decisão de foro íntimo e pessoal. Seria uma honra, mas duvido que ele esteja disposto".

O pré-candidato disse ainda considerar que Barbosa seria um candidato com "enorme possibilidade de sucesso" e que espera se aproximar politicamente do ex-presidente da Corte. "Eu já conversei com ele em outras oportunidades e, se tiver uma nova, conversarei de novo. (...) Se ele não participar presencialmente [da campanha], que possa contribuir com ideias e projetos."

Dias também criticou a aproximação entre o PSDB, que deve concorrer à Presidência com o ex-governador de SP Geraldo Alckmin, e o MDB, do presidente Michel Temer e do ex-ministro da Fazenda Henrique Meirelles. "Creio que essa aliança entre o MDB e o PSDB facilita a definição de rumo do eleitor. É uma aliança que representa a preservação do sistema que queremos substituir."

Segundo ele, as instituições brasileiras estão falidas e "afastadas das aspirações sociais". Um dos efeitos disso, na visão do senador pelo Paraná, é a crise provocada pela corrupção no país e a "preservação de privilégios e elitismos" para uma "minoria".

"Chegamos a esse momento em que a sensação é que o que nos resta é refundar a República. Colocá-la de pé. E, certamente, isso passa pela refundação do federalismo."

Em discurso no painel "Diálogo com Presidenciáveis", realizada pela FNP (Frente Nacional dos Prefeitos) e com transmissão do UOL, Dias afirmou que boa parte dos problemas dos municípios está relacionada com as renúncias fiscais e as desonerações feitas pelo governo federal. "Não se renuncia a uma receita sem a compensação de uma nova receita. A União faz isso unilateralmente, sem a participação de Estados e municípios."

O encontro com os pré-candidatos à Presidência é parte da 73ª Reunião Geral da FNP (Frente Nacional de Prefeitos) e reúne prefeitos, vice-prefeitos, parlamentares federais, estaduais e municipais, além de secretários municipais, diretores e servidores públicos.

Também participam do encontro Manuela D'Ávila (PCdoB), Geraldo Alckmin (PSDB), Guilherme Afif Domingos (PSD), Rodrigo Maia (DEM), Marina Silva (Rede), Alvaro Dias (Podemos), Ciro Gomes (PDT), Guilherme Boulos (PSOL), Aldo Rebelo (SD), Paulo Rabello (PSC) e Henrique Meirelles (MDB).

De acordo com a FNP, foram convidados para participar do evento os pré-candidatos filiados a partidos com pelo menos cinco congressistas.

O PT também estava entre os partidos convidados a participar do encontro. A legenda mantém como seu pré-candidato o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso desde o dia 7 de abril por determinação do juiz federal Sérgio Moro, que o condenou pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro no caso do tríplex de Guarujá (SP).

do UOL


comente esta matéria »

Copyright © 2010 - 2018 | Revelia Eventos - Cornélio Procópio - PR
Desenvolvimento AbusarWeb.com.br