Jacarezinho

Postado dia 28/07/2013

Thiago Bertassoni é campeão no 1º Circuito Paranaense de Slackline

Natural de Jacarezinho (PR), o vendedor Thiago Bertassoni, 24 anos, da equipe JackSlack foi o grande campeão da categoria iniciante no 1º Circuito Paranaense de Slackline realizado no último final de semana em Maringá. O campeonato foi organizado pela Wayline. O professor Tiago Almeida, que dá aulas em Maringá, na praça da Catedral, foi o idealizador e contou com vários patrocinadores e apoiadores para realização da etapa.

A Secretaria de Esportes de Maringá cedeu a Vila Olímpica para os atletas de outras cidades que participaram do evento. A competição aconteceu no ginásio da Unicesumar. A arbitragem ficou por conta dos atletas de altíssimo nível Enrico Conti e Marcelo Supertramp e o professor de Ed. física Leonardo, da Lokahi. “Obtivemos boas colocações no amador com o resto da equipe. Com isso nosso grupo se motivou ainda mais para disseminar o esporte”, afirmou o campeão da categoria amador.

Thiago é de Jacarezinho, mas atualmente mora em Ourinhos-SP. Ele se interessou pelo esporte por meio de um amigo que viu o slackline na internet e resolveu praticar. Thiago não pensou duas vezes e comprou os equipamentos. Assim a dupla deu inicio a pratica do esporte. “O slackline é um esporte bastaste simples, mas a precisa ter concentração para equilibrar o seu corpo e a sua mente. O equilíbrio já está na gente, só precisamos exercitá-lo”, disse Thiago em recente entrevista à um jornal de Ourinhos.

Slackline

Também conhecido como corda bamba, o slackline geralmente é praticado durante 2h diárias e pode ajudar a queimar calorias e, consequentemente, a eliminar os quilos extras. Os benefícios são tantos que muitos fisioterapeutas já indicam o esporte como forma de fortalecer a musculatura e evitar lesões.

De acordo com o diretor da Slack Brasil, Diogo Barboza, a atividade exige uma boa dose de coragem e ajuda a harmonizar corpo e mente. "O equilíbrio é a chave do slack. Para deixar o corpo centrado e se manter em pé na fita é preciso concentração para deixar os pensamentos livres dos problemas. Com isso, o esporte contribui para diminuir o estresse, além de trabalhar a parte psicomotora e muscular, exigindo esforços principalmente no abdome, pernas e braços", explica.

As fitas usadas na prática do slack são feitas de nylon, com cerca de 1 cm de largura e esticadas de 7 m a 12 m de distância. Geralmente o material fica entre 30 cm a 1 m do solo. "Geralmente deixamos a fita na altura do joelho ou da cintura, para facilitar a subida no slack, sem precisar de apoio. A atividade costuma ser praticada ao ar livre por que oferece maior quantidade de pontos fixos para prender as fitas, como árvores e postes", esclarece Diogo.

 


comente esta matéria »

Copyright © 2010 - 2022 | Revelia Eventos - Cornélio Procópio - PR
Desenvolvimento AbusarWeb.com.br