Nova Santa Bárbara

Postado dia 31/12/2012

Edwin Kipsang vence São SIlvestre e cidade espera pela festa

A vitória de Edwin Kipsang na São Silvestre foi tão fácil que a verdadeira maratona ficou para depois. Logo após a prova, o atleta de 24 anos embarcou em uma “lotação queniana” rumo à cidade de Nova Santa Barbará, no interior do Paraná, onde está localizado o sítio no qual mora a maior parte dos atletas africanos residentes no Brasil.

“Só esperamos eles fazerem o teste antidoping e tomarem um banho para pegar a van”, contou o técnico e agente da equipe africana da Fila, Moacir Marconi, o folclórico Coquinho.

Acostumado com as curvas da estrada — da mesma maneira que os corredores africanos estão com o pódio —, o próprio treinador assumiu o volante do veículo. “Eu mesmo guio”, confirmou Coquinho, que não se assusta com as longas seis horas de viagem. “Com o troféu na mão, tudo fica fácil, será só festa”, completou, com a garrafa de champanhe nas mãos.

E a comemoração do expresso queniano tinha tudo para ser animada. À noite, eles fariam um churrasco. “Vou assar carne de boi, carneiro e frango. Foi a primeira vez em 32 anos que pude comemorar o Réveillon com a família e os atletas em casa”, vibrou o técnico.

A conta, pelo menos nesta segunda-feira, quem pagou foi Kipsang. “Vamos celebrar bastante. Pena que não tem o ugali (espécie de polenta típica do Quênia)”, brincou o tímido Kipsang.

Não foram só os homens que pegaram a estrada logo depois da São Silvestre. Moradora de Taubaté, no interior de São Paulo, Maurine Kipchumba teve pouco tempo para festejar a vitória na corrida. Após o almoço, a queniana patrocinada pelo Cruzeiro viajou de carro, junto com um colega, para casa.

“Não estou cansada e são só duas horas de viagem. Passa rápido. Pelo menos para mim, cansa menos do que a prova”, disse a atleta de 24 anos.

Prova/ A corrida teve domínio total dos africanos. No masculino, o brasileiro mais bem colocado foi Geovani dos Santos, com o quarto lugar. Ele se manteve no pelotão dianteiro apenas nos primeiros metros.

Entre as mulheres, a história não foi muito diferente. Maurine e as outras quenianas se mantiveram na dianteira desde o início. Tatiele de Carvalho ainda tentou ficar perto das estrangeiras, mas não conseguiu permanecer no grupo por muito tempo. Terminou em sexto.

Apesar de não terem conseguido quebrar a hegemonia dos africanos, Giovani dos Santos e Tatiele de Carvalho tinham motivos para sorrir após os 15 quilômetros da São Silvestre. Afinal, foram os brasileiros mais bem colocados na tradicional corrida. Ambos se contentaram com o papel de coadjuvante.

“Foi uma prova difícil. Na verdade, sou atleta de provas de pista e acabei me dedicando ao treinamento específico para a São Silvestre nos últimos dois meses, quando decidi que entraria na disputa”, contou Tatiele.

A mineira de 23 anos participou pela quarta vez da corrida e tinha antes como melhor resultado o 11 lugar, em 2010. “É uma honra ser a brasileira mais bem colocada. Vim sem a intenção de vencer, mas de ser a melhor do meu país. Por isso, não marquei minhas compatriotas e só tentei acompanhar o pelotão das africanas. Permaneci neste grupo até quando deu”, confessou.

Já Giovani repetiu seu melhor desempenho. Ele havia completado na quarta posição em 2010, quando Marílson Gomes dos Santos venceu. “Estou contente. Afinal, ser o quarto entre 25 mil está bom”, concluiu o brasileiro.

Classificação da prova

Masculino

Pos. Atleta País Tempo
1 Edwin Kipsang                        Quênia 44min05s
2 Joseph Kachapin Aperumoi        Quênia 44min14s
3 Mark Korir                              Quênia 44min20s
4 Giovani dos Santos                  Brasil 44min51s
5 Hafid Chani                             Marrocos 45min56s
6 Najim El Qady                          Marrocos 46min34s
7 Alphonce Felix Simbu                Tanzânia 46min37s
8 Ubiratan José dos Santos           Brasil 46min38s
9 Ahmed Baday                           Marrocos 46min40s
10 Paulo Roberto de Almeida Paula  Brasil 46min49s

Feminino

Pos.                    Atleta País                         Tempo
1 Maurine Jelagat Kipchumba                 Quênia 51min42s
2 Jackline Juma Sakilu                          Tanzânia 52min11s
3 Rumokol Elizabeh Chepkanan               Quênia 52min50s
4 Fekede Almaz Negede                        Etiópia 53min36s
5 Anastazia Msandai Mhomi Ghamaa        Tanzânia 53min42s
6 Tatiele Roberta de Carvalho                Brasil 54mins10
7 Sueli Pereira da Silva                         Brasil 54mins19
8 Nacy Jepkosgei Kipron                       Quênia 54mins51
9 Roselaine de Sousa Silva                    Brasil 55min09s
10 Marizete Moreira dos Santos              Brasil 55mins34

 

 

Copyright © 2010 - 2019 | Revelia Eventos - Cornélio Procópio - PR
Desenvolvimento AbusarWeb.com.br