Norte do Paraná

Postado dia 14/10/2020 às 14:38:53

Xande Basso derrotou Luiz Mestiço na Amunop; agora são correligionários

O prefeito Ernesto Alexandre Basso, de Nova América da Colina, fazia parte do grupo que frustrou as expectativas de Luiz Alberto Vicente, o Mestiço, de Assaí, de presidir a Amunop (Associação dos Municípios do Norte do Paraná), em 2015.

Apesar de autoproclamar candidato do então governador Beto Richa, o prefeito assaiense foi derrotado por articulação de lideranças ligadas ao deputado Luiz Cláudio Romanelli.

Na rádio comunitária Studio FM, paga com dinheiro público para promoção pessoal do gestor da vez, o comunicador Devonir Custódio vivia afirmando que Mestiço seria o “novo presidente da Amunop”. A “certeza” vinha do fato de que o então candidato único tinha a adesão da maioria dos prefeitos da região.

Ocorre que prefeitos como Ernesto Alexandre Basso (Nova América da Colina) e Edimar Aparecido Pereira dos Santos (Santa Cecília do Pavão) não queriam aquela entidade sob o comando de Mestiço. Dai eles organizaram lista com dezena de prefeitos que apoiavam o nome de Celso Silva à reeleição.

Por causa da iminente derrota, Mestiço entrou na Justica, e conseguiu liminar suspendendo a eleição e afastando o então presidente Celso Silva (PDT). A alegação foi que, conforme o estatuto da Amunop, Celso Silva, deveria ter se licenciado do cargo na entidade dois meses antes da eleição. A mesma punição foi encaminhada ao vice-presidente da Amunop, Luiz Alberto Vicente (PSDB), que concorria à presidência da entidade pela outra chapa e que também não havia deixado o cargo. Após o afastamento do presidente e vice, a presidência passou a ser exercida pelo prefeito de Itambaracá, Amarildo Tostes (PSD), diretor financeiro da Amunop e primeiro na linha de sucessão, após o vice-presidente.

Durante aquela tentativa de eleição, em Cornelio Procopio, Mestiço bateu boca com Xande Basso e ameaçou agredir Celso Silva. O grupo decidiu então lançar um nome de consenso, a prefeita de Leópolis, Cléa Márcia Bernardes de Oliveira (PST), para o pleito que, finalmente, ocorreu em 28 de fevereiro de 2015.

O incidente Amunop também motivou que, em 6 de fevereiro de 2015, o então prefeito assaiense utilizasse veìculo publico e valor em diária para se dirigir até Bandeirantes. Na ocasião, ele usou os microfones da rádio Cabiúna AM para tecer duras críticas à gestao de Celso Silva. Ocorre que, naquela data, Luiz Mestiço se encontrava em Bandeirantes, mas recebeu diárias por suposto deslocamento para a capital Curitiba, em 6 e 7 (sexta-feira e sábado) daquele mês.

Rivalidade

Na primeira eleição de Xande Basso em Nova América da Colina, em 2012, o assaiense Luiz Alberto Vicente vivia qualificando como inelegível, pois apoiava palanque adversário, o então candidato a prefeito e amigo Zequinha.

Na disputa para deputado, em 2018, Xande se aproximou do federal Toninho, do PROS, e se afastou de seu grupo que historicamente apoiava o londrinense Alex Canziani, do PTB. Entendia que, como Canziani não disputaria a reeleição e sim o Senado, abrindo espaco para sua filha Luiza, estaria liberado para aderiar a outro nome para a Camara dos Deputados.

Em busca de apoio para seu nome do PROS, Xande tambem conseguiu a adesão de grupo de vereadores de Assaí para a campanha de Toninho. Os edis assaienses até pensavam em participar do PROS para a eleição municipal de 2020, mas foram surpreendidos com a aproximação de Xande Basso e seu antigo desafeto.

Então o PROS acabou lancando Dr. Pançan como vice do candidato a prefeito Luiz Alberto Vicente, para o pleito de 15 de novembro próximo.

PARA SABER MAIS:

Prefeito de Assaí vê irregularidades em licitação de Bandeirantes


comente esta matéria »

Copyright © 2010 - 2020 | Revelia Eventos - Cornélio Procópio - PR
Desenvolvimento AbusarWeb.com.br