Norte do Paraná

Postado dia 24/11/2017 às 03:18:20

Ministério da Saúde repassa R$ 2 milhões para Londrina e região

Metade do valor é para procedimentos cirúrgicos eletivos e o restante para aquisição de equipamentos médicos

O Cismepar (Consórcio Intermunicipal de Saúde do Médio Paranapanema) irá receber R$ 2 milhões para ampliar assistência em Londrina e região. O anúncio foi realizado na tarde desta quinta-feira (23), na sede do Cismepar, quando o ministro da Saúde Ricardo Barros concedeu entrevista coletiva para anunciar o repasse.

Deste total, R$ 1 milhão reforçará a realização de mutirões para cirurgias eletivas (procedimentos sem caráter de urgência) e o restante será utilizado na aquisição de mobiliário e equipamentos médicos. "Com este reforço financeiro esperamos beneficiar toda a população dos 21 municípios que integram o Cismepar e reduzir a fila de pessoas aguardando por cirurgias eletivas", afirmou o ministro, durante o anúncio. A verba é proveniente de emenda parlamentar do deputado federal Alex Canziani. 

Barros disse estar seguro de "os recursos direcionados para cá entrarão de forma mais rápida e democrática para a população" e que cobrará eficiência nessa gestão. "Estamos oferecendo qualificação aos gestores para garantir que os recursos sejam bem gastos. Mesmo com essa qualificação, ainda estamos longe de ser eficientes na aplicação de recursos da saúde." 

Com o recurso para as cirurgias eletivas, a intenção é implantar um programa que prevê a criação de uma fila única de cirurgias eletivas. Para colocar o projeto em prática, a Secretaria Municipal de Saúde de Londrina, responsável pela gestão do recurso, atuará em parceria com o Cismepar, que deverá centralizar os dados sobre as cirurgias eletivas da região. 

O ministro ressaltou que a legislação atual não permite a transferência de recursos diretamente para os consórcios. "É uma burocracia a mais. É preciso estruturar essa legislação. Vou fazer um seminário com consórcios e vamos sugerir texto para mandar ao Congresso Nacional", projetou. 

Sobre a solicitação de elevação do teto de recursos para Londrina, Barros diz que essa possibilidade se estende a todos os municípios que atendem mais do que recebem. "Precisaria de R$ 2 bilhões para atender todos que estão na mesma situação, com pedidos como este de Londrina. Espero fazer isso com mais economia para poder atender aqueles que mais precisam." 

FILA 

Além de destacar a importância do aporte para a compra de equipamentos mais modernos para exames de ultrassonografia e radiografia, por exemplo, o prefeito de Prado Ferreira e presidente do Cismepar, Sílvio Damaceno, informou que com o valor destinado às cirurgias eletivas aproximadamente 1.500 procedimentos poderão ser feitos. "Com esses recursos poderemos realizar 1.500 mil cirurgias, mas ainda vai faltar muito. Levamos essa demanda ao secretário de Estado da Saúde e pedimos R$ 7 milhões para cirurgias de alta complexidade de ortopedia, que é o maior gargalo que temos aqui na região", apontou. 

Segundo Damaceno, hoje a fila é de 11 mil pessoas, número que poderia cair pela metade em razão de uma triagem que está sendo feita pelos técnicos. 

O prefeito de Londrina, Marcelo Belinati, entretanto, afirmou que o número pode ser muito maior que isso. "Só em Londrina temos 20 mil pessoas esperando cirurgia há mais de dez anos. Esperamos essa parceria com o Ministério da Saúde para resolver o problema passo a passo." 

Uma destas 20 mil pessoas é a autônoma Vera dos Santos, 52 anos, que ontem, enquanto o anúncio era feito, estava no andar de baixo, aguardando. "Preciso tirar pedra da vesícula e estou há mais de um ano esperando por uma cirurgia", contou. "É muito ruim ficar esperando. Graças a Deus o meu caso não é urgente, mas se fosse eu já estaria morta".

por Vítor Ogawa, da Folha de Londrina

 


comente esta matéria »

Copyright © 2010 - 2017 | Revelia Eventos - Cornélio Procópio - PR
Desenvolvimento AbusarWeb.com.br